domingo, 10 de dezembro de 2017

MISTÉRIO QUE ENVOLVE A CIDADE DE JERUSALÉM

A questão de Trumpy reconhecer Jerusalém como a capital de Israel é complexa como tudo o que envolve esta região do mundo.  Lógico que estamos atentos a ver o desenrolar dos fatos.  O vislumbre do futuro que temos é o que diz as Escrituras, o que ela afirma deve ser a única base segura diante destes fatos e acontecimentos. Na realidade esta história está além de algum poder, política, guerras, conflitos pessoais ou interesses mundiais.

Devemos entender o por que desta briga por este pequeno espaço de terra. O que aconteceu neste terreno? E o que acontecerá?


NO ÉDEN

Adan e Havah (Adão e Eva) pecaram. O céu todo se enche de tristeza. Um cordeiro foi morto, e um local na terra recebe o sangue da primeira vítima, morte pela primeira vez no Universo. Um cordeiro morreu, uma expiação foi realizada. Espanto! Uma promessa, uma profecia, uma data, um local...

Dois povos, árabes e israelenses. Descendentes de Isaque e de Ismael.

NO TEMPO DE ABRAÃO

Isaque filho de Sara, a amada de Abraão, Ismael filho da egípcia Agar. Abraão amava os seus 2 filhos. Um era o herdeiro da promessa, uma descendência que se tornaria multidão incontável entre as nações, o outro seria também uma grande nação. Quem são estes povos?

Isaque, cresceu, casou-se com Rebeca, que deu à luz a Y’akov (Jacó) e a Esaú, sendo que Y’akov que teve seu nome mudado para Yahshorum, teve 12 filhos que vieram a ser as 12 tribos.
Ismael, filho da serva egípcia Agar, caçoava de Isaque, e Sara pediu a Abraão que rejeitasse Ismael e o mandasse embora, o que pareceu muito penoso a Abraão. Nesta ocasião Yahveh disse a Abraão:

“ Não pareça isto mal por causa do moço e da sua serva, atende a Sara em tudo o que ela disser, porque por Isaque será chamada a sua descendência. Mas também ao filho da serva, farei uma grande nação. Gên. 21:12

Quem são estes povos hoje?

Veja que interessante Avram (Abrão) significa lit. – pai exaltado. Yah mudou seu nome para – Pai de muitas nações.
Sarai que significa “brigar” foi mudado para Sara – que significa princesa.
Temos o casal – Pai de muitas nações casado com a princesa, uma declaração que Sara faz parte da aliança. Temos uma geração especial vindo desta linhagem.

No ano 2000 do decorrer da história Yahveh pede um sacrifício para Abraão (Avram). Onde teria que ser feito este sacrifício? Precisamente no Monte onde hoje está Jerusalém.

Isaque era o filho da promessa de uma descendência. Estava em Isaque a descendência da promessa da vinda de uma geração incontável como as estrelas do céu, e também desta viria o tão esperado Mashyah, o Salvador do mundo.

Então no ano 2000 sobre este terreno estava Abraão e Isaque, isto aconteceu no dia 14 do primeiro mês, do ano 2000 passados 40 jubileus, 2000 anos depois de um cordeiro ser morto, pela mão de Adão, onde pela primeira vez no universo se vê sangue sendo derramado, a morte de um cordeiro que representava Yahshuah, o Filho de Yahveh, da mesma forma de Isaque foi uma representação deste acontecimento, só que uma forma muito mais vívida de um pai, oferecendo seu filho. Vocês conhecem o fim da história, Yah enviou um cordeiro de verdade para ser oferecido no lugar de Isaque. Relembrando que tudo isso aconteceu neste monte onde está hoje Jerusalém. Será que o lugar do sacrifício de Adão foi o mesmo do sacrifício de Isaque? Muito provável, pois adicionaremos a ele uma outra significação extraordinária. 

NO TEMPO DE MEHUSHUAH - MOISÉS

 Adão, Sete, Enoque, Matusalém, Noé, Sem, Abraão, Isaque, em linha ininterrupta... Yakov, seus 12 filhos, aí entra a impressionante história de Yosef (José), que foi levado ao Egito e depois traz a sua família. Passado o tempo Yosef morre, o grande homem a que o Egito devia tanto! Levantou-se um novo rei sobre o Egito que não reconhecia o que Yosef (José) fez por sua nação, a família de Yahkov por este tempo estava muito numerosa, e por medo de que se voltassem contra o Egito começou a tomar seguidas medidas cruéis, até que chegou ao ponto funesto de matar crianças hebreias do sexo masculino.
Hashatã foi o instigador disto. Sabia que um libertador deveria levantar-se entre os então escravos... O Eterno estava com as mulheres, e elas não ousavam executar o cruel mandado, e prosperou-as. A despeito disso outra ordem que inocentes crianças fossem lançadas ao rio Nilo... Enquanto este decreto estava em pleno vigor, um filho foi nascido a Anrao e Yoquebede, descendentes da tribo de Levi, “um menino formoso” (Êx.2:2); e os pais, crendo que o tempo do libertamento estava se aproximando, pois já se passavam 430 anos desde a promessa feita a Avrahan (Abraão) Gên. 15, resolveram que seu filhinho não fosse sacrificado...

Moisés, o menino achado nas águas do Nilo, e que veio a se tornar o libertador do povo mandado por Yahveh de modo espantoso e dramático! Que história! Não é a toa que  Hollyood usa este roteiros em seus filmes...

Pulando muita coisa... acontece a peregrinação, e 40  anos de deserto depois, o libertador está nas fronteiras da terra prometida aos filhos de Yakkov, (Jacó). Terra esta onde hoje está Jerusalém atualmente! A quem pertencem?
Foi dado a Mehushuah (Moisés) instruções para esta família de povo, estas estão no Vaikra conhecido por - livro de Levíticos. No capítulo 28, instruções, condições e promessas do Eterno Yahveh para a prosperidade ou dificuldade do povo, dependendo do caminho que tomassem...

NO TEMPO DE SALOMÃO

E há de ser que, quando forem cumpridos os teus dias, para ires a teus pais, suscitarei a tua descendência depois de ti, um dos teus filhos, e estabelecerei o seu reino. Este me edificará casa; e eu confirmarei o seu trono para sempre. I Crônicas 17:11-12

E há de ser que, quando forem cumpridos os teus dias, para ires a teus pais, suscitarei a tua descendência depois de ti, um dos teus filhos, e estabelecerei o seu reino. Este me edificará casa; e eu confirmarei o seu trono para sempre. I Crônicas 17:11-12

Assim, à medida que o edifício sobre o Monte Moriá ia sendo silenciosamente erguido com pedras preparadas, “de maneira que nem martelo, nem machado, nem nenhum outro instrumento de ferro se ouviu na casa quando a edificavam” (1 Reis 6:7), os belos utensílios eram trabalhados conforme os modelos entregues por Davi a seu filho—“todos os vasos que eram para a casa de YHWH”. 2 Crônicas 4:19.

O Templo que Yah'didyah-amado de Yah-veh- (Salomão) construiu também foi honrado com a presença do Eterno. Yah'didyah (Salomão) pôs em execução sabiamente o plano tão longamente acariciado por Davi, de construir um templo ao YHWH.

Foi Destruído por causa da desobediência do povo - Por Nabuzarandam capitão da guarda de Nabucodozor...no dia 10 do 5º mês, mês de Abe  ano 587.Yahmyahu=Jeremias 52: 12,13,14.

Segundo Templo foi reconstruído após o retorno do cativeiro na Babilônia, sob orientação de Zorobabel. O templo começou com um altar, feito no local onde havia o antigo templo, e suas fundações foram lançadas em 535 a.C.. Sua construção foi interrompida durante o reinado de Ciro, e retomada em 521 a.C., no segundo ano de Dario I. O templo foi consagrado em 516 a.C...e que  tambem foi destruído por Tito no ano 70  


"Na ocasião do cerco os yahud (judeus) estavam reunidos em Jerusalém para celebrar a festa dos Tabernáculos, e assim os judeus em todo o pais puderam escapar sem ser molestados. Imediatamente fugiram para um lugar de segurança — a cidade de Pela, na terra de Pereia, além do Jordão.
As forças judaicas, perseguindo a Céstio e seu exército, caíram sobre sua retaguarda com tal ferocidade que o ameaçaram de destruição total. Foi com grande dificuldade que os romanos conseguiram efetuar a retirada. Os judeus escaparam quase sem perdas, e com seus despojos voltaram em triunfo para Jerusalém. No entanto este êxito aparente apenas lhes acarretou males. Inspirou-lhes aquele espirito de pertinaz resistência aos romanos, que celeremente trouxe indescritível desgracia sobre a cidade sentenciada.

Terríveis foram as calamidades que caíram sobre Jerusalém quando o cerco foi reassumido por Tito. A cidade foi assaltada na ocasião da Pascoa, quando milhões de judeus estavam reunidos dentro de seus muros". Grande Conflito p. 28

DEPOIS DO CATIVEIRO BABILÔNICO A DESCENDÊNCIA FOI DIVIDIDA – POVOS DO NORTE E NO SUL.

No Norte ficaram 10 tribos, sabemos que entre elas estavam uma raça mestiça que tinha
surgido em consequência de cruzamento pelo matrimônio entre os colonos pagãos das províncias da Assíria com o remanescente das dez tribos que tinha sido deixado em Samaria e Galileia. O povo de Samaria, cultuavam deuses estranhos em datas estanhas, mas na teoria temiam ao Eterno.
Destino parecido deve ter tido a descendência das outras tribos...

No Sul ficaram os descendentes da tribo de Yahdah – que significa, adoradores de Yahveh que tinha sua capital em Yahshalaym, e adoravam nos “moedim” - datas das Festas Fixas de Yahveh.
Em Jerusalém “ajuntou toda a casa de Yahdah (Judá) e a tribo de Benyamim, (Benjamim)
cento e oitenta mil escolhidos, para guerrear contra as 10 tribos, para restituir o reino a Roboão, filho de Salomão. Porém veio a palavra de Yahveh a Semaías, dizendo:  "Não subireis, nem pelejareis contra vossos irmãos, volte cada um para a sua casa, porque Eu é que fiz esta obra. E ouviram, e voltaram... 1 Reis 12:21-24.

Foi o reconhecimento de Yahveh como Supremo, que pôs as tribos de Yahdah (Judá o que são hoje os judeus) e Benjamim em plano de superioridade.

Não foram só eles, também de todas as 10 tribos de yahshurum (Israel), diz o relato, “os que deram o seu coração a buscarem ao Eterno Yahveh, vinham a Yahshalaym (Jerusalém), para oferecerem culto ao Eterno nas datas fixas segundo o costume de seus pais.


NO TEMPO DO SALVADOR

Diferentemente do Primeiro Templo, este templo não tinha a Arca da Aliança, o Urim e Tumim, o óleo sagrado, o fogo sagrado, as tábuas dos Dez Mandamentos, os vasos com Maná nem o cajado de Aarão, o shekinah não mais habitava entre os querubins, no lugar kadoshim, mas havia uma profecia que este seria honrado mais que o primeiro. Como?
Este templo de Salomão reconstruído seria honrado com a própria presença do Filho do Pai do Eterno Yahveh, em pessoa. Yahshuah, o Filho de Yahveh, pisou no templo quando tinha 12 anos, e lemos nas Escrituras muitos acontecimentos importantes nos dias das Festas durante sua vida. O segundo templo não foi honrado com a nuvem do esplendor de Yahveh, mas com a presença dAquele em quem habita corporalmente toda plenitude do esplendor de Yahveh, Yahshuah. (Col. 2:9), nisto unicamente o segundo templo excedeu em honra o primeiro.

Mas a maioria do povo rejeitou o Salvador, a única esperança da sua honra como nação.

Antes de Sua morte, quando Ele ia se aproximando, viu a cidade de Jerusalém, viu o templo e chorou, Dizendo, Ah! Se tão somente tivesses conhecido, ainda neste teu dia, as cousas que pertencem à tua shalom! Mas agora elas estão encobertas aos teus olhos.
 Porque dias virão sobre ti, em que teus inimigos estenderão trincheiras em redor de ti, e te cercarão, e te apertarão de todos os lados, e te lançarão ao chão, e teus filhos contigo; e não deixarão em ti pedra sobre pedra; porque tu não conheceste o tempo da tua visitação. Lucas 19: 41 a 44

NO TEMPO DOS ROMANOS

A vista estavam os magnificentes edifícios do templo. Os raios do Sol poente iluminavam a brancura de neve de suas paredes de mármore e punham reflexos no portal de ouro, na torre e pináculo. Qual “perfeição da formosura” levantava-se ele como o orgulho da nação judaica. Que filho de Yahshurum -Israel poderia contemplar aquele cenário sem um estremecimento de alegria e admiração?! Entretanto, pensamentos muito diversos ocupavam a mente de Yahshuah. “Quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela. ” Lucas 19:41. Ali estava o Monte Moriá, onde Y'tizak - Isaque o filho da promessa, como vítima submissa, havia sido ligado ao altar — emblema da oferenda do Filho de Yahveh. Genesis 22:9.

Ano 70 - Do cume do Monte das Oliveiras, no mesmo ponto mais tarde ocupado por Tito e seu exército, olhava Ele através do vale para os pátios e pórticos sagrados, e, com a vista obscurecida pelas lágrimas, via em terrível perspectiva, os muros rodeados de hostes estrangeiras. Ouviu-se o tropel de exércitos dispondo-se para a guerra....
 
“Era um espetáculo pavoroso aos romanos; e que seria ele para os judeus? Todo o cimo da colina que dominava a cidade, chamejava como um vulcão. Um após outro caíram os edifícios, com tremendo fragor, e foram absorvidos pelo ígneo abismo. Os tetos de cedro assemelhavam-se a lençóis de fogo; os pináculos dourados resplandeciam como pontas de luz vermelha; as torres dos portais enviavam para cima altas colunas de chama e fumo. As colinas vizinhas se iluminavam; e grupos obscuros de pessoas foram vistas a observar com horrível ansiedade a marcha da destruição; os muros e pontos elevados da cidade alta ficaram repletos de rostos, alguns pálidos, com a agonia do desespero, outros com expressão irada, a ameaçar uma vingança inútil. As aclamações da soldadesca romana, enquanto corriam de uma para outra parte, e o gemido dos rebeldes que estavam perecendo nas chamas, misturavam-se com o rugido da conflagração e o rumor trovejante do madeiramento que caia.
Os ecos das montanhas respondiam ou traziam de volta os gritos do povo nos pontos elevados; ao longo de todo o muro ressoavam alaridos e prantos; homens que estavam a expirar pela fome reuniam sua força restante para proferir um grito de angustia e desolação.
“O morticínio, do lado de dentro, era até mais terrível do que o espetáculo visto fora. Homens e mulheres, velhos e moços, rebeldes e sacerdotes, os que combatiam e os que imploravam misericórdia, eram retalhados em indiscriminada carnificina. O número de mortos excedeu ao dos matadores. Os legionários tiveram de subir sobre os montes de cadáveres para prosseguir na obra de extermínio. ” — História dos Judeus, de Milman, livro 16.

Na rejeição de Yahshuah, o povo perdeu a razão de sua paz. E como nação sofreria as consequências, deixando bem claro aqui que esta rejeição aconteceria para a nação como um povo e não como indivíduos.

Os que ouviram a advertência do Salvador escaparam, os yahudim natzarim são espalhados,
perseguidos, se reúnem escondidos nas cavernas e catacumbas, este povo não ostenta luxo e nem se reúnem em custosos edifícios. Vemos resquícios deste povo sendo mortos anos depois em Portugal e Espanha quando lemos a história da Inquisição, pessoas estas que são responsáveis por chegarem até nós importantes verdades vitais! Hoje esta parte equivalente a descendência de Abraão estão espalhados e misturados em todas as nações da terra. Só Yahveh sabe quem são, e os tem contado em seu livro, e um dia o mostrará a Abraão como cumprimento desta promessa!


NO NOSSO TEMPO...

Vamos dar um pulo de vários séculos... não vamos relatar aqui as inúmeras ocupações, guerras cruzadas se sucederam, pois foram inúmeras e correria sério risco de errar nomes e datas entre elas.
Sabemos que atualmente os árabes muçulmanos são os descendentes de Ismael,  e ocupam atualmente a região de Jerusalém,
é interessante que o primeiro elemento cultural que introduziram foi a língua, que, aparentada com o aramaico obteve fácil aceitação.

 O Estado Israel, foi reconhecido novamente como nação em 1948. Seu nome original – Yahshorum que significa Yahveh justo e reto. O nome foi mudado para Israel – em honra a três ídolos; Isis, Ra e Bel. Como foi isso? Associação idólatra entre os povos adoradores de ídolos. Séculos de convivência entre os povos pagãos juntado a escravidão, apostasia e perseguição.
Quem compõe exatamente Israel? Todos os naturais desta região juntamente com seus descendentes.

A quem pertence o território em que está atualmente Jerusalém? E o que diz a profecia a respeito desta terra?

“Desperta, desperta, veste-te da tua fortaleza, ó Sião; veste-te dos teus vestidos formosos, ó Yahshalaym (Jerusalém), cidade sagrada; porque nunca mais entrará em ti nem incircunciso e nem imundo. Sacode o pó, levanta-te, e assenta-te, ó Jerusalém; solta-te das ataduras de teu pescoço, ó cativa filha de Sião”.
Isaías 52:1, 2.

“Ó oprimida, arrojada com a tormenta e desconsolada eis que Eu porei as tuas pedras com todo o ornamento, e te fundarei sobre safiras. E as tuas janelas farei cristalinas, e as tuas portas de rubis, e todos os teus termos de pedras aprazíveis...
Com justiça serás confirmada; estarás longe da opressão, porque já não temerás; e também do espanto, porque não chegarão a ti.
Toda a ferramenta preparada contra ti, não prosperará; e toda a língua que se levantar contra ti em juízo, tu a condenarás; esta é a herança dos servos de Yahveh, e a justiça que vem de Mim, diz o Soberano” Isaías 54:11-17.

Yahrmyahu (Jeremias) exclamou ao contemplar as desolações produzidas durante as cenas finais da história da Terra.

“Estou ferido no meu coração” “Não me posso calar, porque tu, ó minha alma, ouviste o som da trombeta e o alarido da guerra. Quebranto sobre quebranto se apregoa; porque já toda a Terra está destruída”. Jeremias 4:19, 20.

Há promessa de restauração?

“Falai benignamente a Yahshalaym (Jerusalém), e bradai-lhe que já a sua malícia é acabada, que a sua iniquidade está expiada e que já recebeu em dobro da mão de Yahveh, por todos os seus pecados”. Isaías 40:2

Contemplando o profeta os redimidos como moradores da cidade restaurada depois da volta do Mashyah pela segunda vez, quando toda a terra será restaurada, livres do pecado e de todos os sinais da maldição, ele exclama:

 “Regozijai-vos com Yahshalaym (Jerusalém), e alegrai-vos por ela, vós todos os que a amais; enchei-vos por ela de alegria”. Isaías 66:10

“Nunca mais se ouvirá de violência na tua terra, de desolação ou destruição nos teus termos; mas aos teus muros chamarás salvação, e às tuas portas louvor.
Nela (Yahshalaym) o Sol não servirá para luz do dia, nem o resplendor da Lua a noite; mas Yahveh será a tua luz perpétua, com o Seu esplendor.
Nunca mais se porá o teu Sol, nem a tua Lua minguará; porque Yahveh será a tua luz perpétua, e os dias do teu luto findarão.
E todos os do teu povo serão justos, para sempre herdarão a Terra; serão renovos por Mim plantados, obra das Minhas mãos, para que Eu seja honrado”. Isaías 60:18-21.

O MONTE MORIAH – YAHSHALAYM - JERUSALÉM

Moriah מוריה – significa essência para Yah (prefixo nome Yahveh) relativo ao sacrifício que fora feito ali por anos e remetia ao sacrifício do Salvador.
Ali estava o Monte Moriah, onde o filho da promessa, como vítima submissa, havia sido ligado ao altar — emblema da oferenda do Filho de Yahveh. Gên.22:9. Ali, o concerto de bênçãos e a linda promessa do Mashyah, foi confirmada a Avrahan. Gên. 22:16-18. Ali as chamas do sacrifício, ascendendo para o céu da eira de Ornã, o yevusi (jebuseu), haviam desviado a espada do anjo destruidor (1 Crônicas 21) — símbolo apropriado do sacrifício e mediação do Salvador em prol do homem culpado.

Yahshalaym (Jerusalém) fora honrada por Yahveh acima de toda a Terra. Tzion ציון (Sião que significa cume), fora eleita pelo Soberano Yahveh, que a desejara “para Sua habitação”. Salmos 132:13.

Ali, durante séculos, santos profetas haviam proferido mensagens de advertência.
Sacerdotes ali haviam agitado os incensários, e a nuvem de incenso, com as orações dos adoradores, que subira perante o Eterno. Ali, diariamente, se oferecera o sangue dos cordeiros mortos, apontando para o vindouro Cordeiro de Yahveh. Ali, Yahveh revelara Sua presença na nuvem de esplendor, sobre o propiciatório. Repousara ali a base daquela escada mística, ligando a terra ao céu (Genesis 28:1; 2 Joao 1:51) — escada pela qual os anjos de Yah desciam e subiam, e que abria ao mundo o caminho para o lugar kadoshim. Houvesse este povo, os adoradores de YAHVEH, como nação, preservado a aliança com o céu, Yahshalaym (Jerusalém) teria permanecido para sempre como eleita de Yahveh. Jer. 17:21-25.

A história deste povo favorecido foi um registro de apostasias e rebelião, aquela cidade e nação que foram as escolhidas por YAHVEH, Seu tesouro peculiar, profetas haviam chorado a sua apostasia, e as terríveis desolações que seus pecados atraíram.... Ainda teremos que ver cenas de terrível conflito, mas o fim desta história de tristeza está quase chegando ao fim!

O monte do Templo (em hebraico: הר הבית, transl. Har Ha-Bayit), em alusão ao antigo templo, conforme é conhecido pelos judeus e cristãos, também chamado Nobre Santuário (الحرام الشريف, transl. Al-Haram ash-Sharif) pelos muçulmanos, é um lugar sagrado para judeus, cristãos e muçulmanos, sendo também um dos locais mais disputados do mundo. Lá se encontram a Mesquita de Al-Aqsa e o Domo da Rocha, construídos no século VII e que estão entre as mais antigas estruturas do mundo muçulmano. Por essa razão, o lugar é também referido pela imprensa como Esplanada das Mesquitas.

Quando o Salvador estava prestes a separar-Se de Seus discípulos, confortou-os em sua tristeza com a segurança de que viria outra vez: “Não se turbe o vosso coração. ... Na casa de Meu Aba há muitas moradas. ... Vou preparar-vos lugar. E, se Eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para Mim mesmo. ” João 14:1-3.
“E quando o Filho do homem vier em Seu com todos os malachim (anjos) com Ele, então Se assentara no Seu trono.  E todas as nações serão reunidas diante dEle.” Mateus 25:31, 32.

Os anjos que por momentos se detiveram no Monte das Oliveiras depois da ascensão do Mashyah, repetiram aos discípulos a promessa de Sua volta: “Esse Yahshuah, que dentre vos foi recebido em cima no Céu, há de vir assim como para o Céu O vistes ir. ” Atos 1:11. E o Shaul, falou: “O mesmo Soberano descerá do Céu com alarido, e com voz de Arcanjo, e com a trombeta de Yahveh ” 1 Tessalonicenses 4:16. Diz o profeta de Patmos: “Eis que Ele vem com as nuvens, e todo o olho O verá. ” Apoc. 1:7.

Hoje, os herdeiros desta promessa então entre os yahud (judeus), árabes, entre os povos espalhados entre todas as nações, inclusive aqui no Brasil.

De uma forma muito bonita, Yahchanam (João) pontua, os que estarão vivos nesta ocasião na terra como 12 mil de cada uma das tribos do povo dos adoradores de Yah!  A cidade de Yahshalaym (Jerusalém) será eterna, nesta cidade, Yahshuah colocará os seus pés, os mesmos que um dia dali subiram como homem, agora, descerá como Rei do Universo!  Lindo não?

 Por Diná Soares




Um comentário:

  1. só acrescentando existe um texto em zacarias que indica o monte das oliveiras o mesmo onde o messias subiu.e onde ELE votará peça segunda vez...4 Naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; se o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, do oriente para o ocidente e haverá um vale muito grande; e metade do monte se removerá para o norte, e a outra metade dele para o sul.

    ResponderExcluir